PARA VER OS VIDEOS PARA A MUSICA

Global Debate Guerras das Drogas

Loading...

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Cuidado Portugueses nova droga a Krokodil muito viciante, já é vendida como heroina na Europa. Não usem perigoso

NOVA DROGA NA EUROPA MATA - MAIS BARATA... MAIS POTENTE.... MAIS LETAL


Olá pessoal ...

Como sabem fui consumidor "pesado" de heroína e cocaína durante mais de 20 anos entre muitas razões que me fizeram abandonar os consumos, foi o facto de me querer injectar e já não conseguir...

Garrotes nas pernas para apanhar uma veia bailarina no pé ou nas pernas picadas que me faziam contorcer de dores, braços de veias secas e hematomas constantes e um desespero para ver uma veia ao espelho para  dar um caldo de algodões batidos e espremidos que nem flash de um mista já usada dava....( linguagem própria de adito)

Nestas minhas viagens pelo mundo tenho visto o mundo com olhos diferentes....

Sempre viajei muito fosse em trabalho fosse pela loucura da vida.

Antigamente procurava e ENCONTRAVA SEMPRE a mista (heroína e cocaína), as vezes o mais complicado era mesmo a procura da veia, muito mais do que encontrar a droga...

Europa , Africa, Ameria do Sul, vários países, pobres e ricos estava lá sempre como se me esperasse

...na verdade sempre lá esteve ( a droga)  e continua a estar , eu é que já não a procuro...procuro outras sensações, outros cheiros, outras experiências, procuro a vida

No entanto os meus olhos percorrem o que vivi e mesmo quando estou de viajem vejo ( como  a memória de um computador) tudo o que está ...

Estive agora à pouco tempo na Alemanha...

A Alemanha está cheia de Russos, Albaneses, Ucranianos, Tchetchenos e outros..., pessoas que vieram de guerras civis horríveis e de mundos que para nós só existem mesmo num filme quase de terror ou de guerra cruel e desumana de Hollywood 

Muitos criminosos de guerra estão aí ...sim è verdade e para eles a vida humana vale menos que uma nota de 20 euros

Conclusão:

Krokodil: A droga da Rússia que deixa a carne em estado de putrefação.

O krokodil,  tem um efeito "julga-se" dez vezes mais potente que a

 heroína, 

custa entre 3 Euros/ R$ 5  e  4 euros/ R$ 8 o grama e tornou-se a 

alternativa para quem não têm como sustentar a dependência 

química em heroína.


A esperança de vida para quem é usuário da nova droga é de 1 a 3

 anos. Os que sobrevivem sofrem amputações e ficam dementes, 

com problemas motores, de raciocínio, de fala e de visão.


 Em entrevista à revista norte- americana “Time”, uma ex-usuária

 relatou mortes de amigos por pneumonia, envenenamento, 

meningite, explosões de artérias do coração ou putrefacção até à 

morte.




Podes ver alguns videos no youtube que são chocantes por exemplo : http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=rv1QAk2-8d8

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Falta de controlo na distribuição de Metadona em Portugal aos pacientes toxicodependestes

Metadona na Alemanha que diferença....

Todo o sistema é diferente ... organizado, humanizado, e EXIGENTE....


Na Alemanha quem toma TODOS os dias Metadona no centro, tem que fazer obrigatoriamente o teste do balão (álcool) , e aleatoriamente faz exames a urina e outros.

Isso faz com que exista um controle entre metadona e uma NÃO continuação de consumos...


Atenção que não é só quem leva para casa. Não. São todos os que tomam diariamente a dose de metadona.

Porque  em Portugal quem leva semanalmente/ quinzenalmente aqui também tem que supostamente fazer o exame à urina.
Mas quem leva quinzenalmente ou semanalmente, geralmente é quem já está no programa à algum tempo e tem como intuito a recuperação, que não é a maioria dos pacientes...ou seja a maioria toma diariamente  em centros, carrinhas, ou centros de sem abrigo, etc...

Em relação aos pacientes diários ...RESULTADO: 


Aqui em Portugal não existe ESSE CONTROLE  para os que toma diariamente metadona.

Eu já presenciei mais vezes do que supostamente deveria, no local onde vou buscar quinzenalmente a minha metadona  pacientes ao invés de colocarem água no copo onde é colocado pelo enfermeiro a metadona vinho banco e toma-na assim...surreal

Eu já tomei metadona em Barcelona , Hamburgo, Bonn e Londres e nunca presenciei nem estas situações, nem a degradação física que os usuários de metadona apresentam aqui em terras Lusas...

E o que me choca é que Portugal passa para a Europa a imagem de ser o "exemplo" de sucesso neste programa....

"mais em baixo noutros artigos , explico o porquê deste falso sucesso feito de estudos feitos por profissionais da área mas que ( desculpem o que digo, mas não conhecem o que é a heroína aqui e noutros países)  è uma questão de lerem um pouco do Blogue e irão ver o porquê." 

A verdade é que em Portugal quem toma diariamente pode consumir na mesma heroína e cocaína que não é por isso que deixa de ter direito à metadona....

O que eu como toxicodependente em tratamento já à quase 4 anos acho um absurdo e um gozo , não só para os contribuintes que pagam com os seus impostos esta preciosa ajuda, como para os profissionais de saúde que trabalham na área que não vêem frutos da maioria desses "repito que tomam diariamente", assim como para o próprio doente ( toxicodependente) que necessita ser controlado para uma vitória sobre a sua doença...

Na América diz-se que a metadona é um grande negócio das empresas farmacêuticas que trabalham com fármaco, eu acredito que sim, que existe uma história muito negra "$$$$" por detrás desta oferta de metadona que o Estado " contribuintes" PAGAM, que serve para tudo menos para ajudar...

Beneficiam posto de trabalho de muitos?...sim é verdade

Criam Gabinetes em postos do Estado onde as reuniões levam a conferências e boas almoçaradas?...sim...sim



Ajudam as pessoas? ...algumas delas que conseguem e QUEREM  ...sim.

È o caso de muitos  que individualmente , sem apoios de psicólogos ou terapias ou aconselhamentos ou encaminhamento para findarem esse mesmo tratamento e prosseguirem a a vida sem a Metadona 


PODEM VER ALGUNS LINKS QUE DEIXO AQUI SOBRE O TEMA : METADONA UM NEGÓCIO

http://voices.yahoo.com/the-problem-methadone-clinics-they-profit-256720.html


HÁ Cerca de quatro anos atrás, Phil Herschman abordado Barry Karlin com um acordo para comprar um grupo de clínicas de metadona espalhados por todo o país. Em última análise, Karlin parceria com Herschman e comprei as clínicas de metadona em uma transação que foi a criação do Grupo de Saúde CRC por um caminho muito rentável, mas potencialmente controversa, de grande expansão no negócio de manutenção com metadona.

LEIA MAIS EM: 
http://www.treatmentmagazine.com/special-reports/115-americas-methadone-king.html



Na Alemanha à dada uma receita onde os pacientes vão com esta buscar à farmacia  no qual os frascos ficam com o registo do paciente que por sua vez a segurança social é informada para a despesa desta ser reduzida, por exemplo 120 mg para 7 dias eram 5 euros






A metadona tem uma mistura de estrato de limão para impedir que a sua venda no mercado negro se concretize, em Portugal nada disto acontece por isso se formos aos locais de consumo vendem metadona e subutex tal e qual como a heroína e cocaína...não existe controlo


Custos sociais da toxicodependência diminuíram


Mas nem tudo é mau....

Os custos sociais da toxicodependência diminuíram desde a implementação da estratégia nacional que arrancou no final da década de 90. A conclusão é de um estudo realizado pelo Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada (CEGEA), da Católica do Porto a que a Lusa teve acesso.

O plano estratégico para o combate deste problema foi adotado em 1999, e desde então, os custos sociais da toxicodependência têm vindo a diminuir.

Com este programa assistiu-se a uma procura acentuada dos centros de atendimento, mas, mesmo assim, os custos para o serviço de saúde foram menores: a despesa global caiu de 168 milhões de euros anuais, em 1999, para 134 milhões/ano, entre 2000 e 2004.

Desta forma, conclui o estudo, observou-se um decréscimo “de cerca de 12% dos custos sociais da toxicodependência, entre 1999 e o período imediatamente posterior (2000-2004)”.

Os motivos que levaram a este comportamento podem explicar-se com as políticas de sensibilização e de redução de danos, como as trocas de seringas, que, segundo a CEGEA, resultaram numa “diminuição verificada no número de toxicodependentes infetados com SIDA ou hepatites B e C, tal como a diminuição do número de mortes prematuras associadas à toxicodependência".

Também a diminuição do número de pessoas presas por infrações à lei da droga contribuiu para reduzir os custos desta doença.

O consumo de drogas injetáveis sofreu uma queda de 8% entre 1999 e 2005, embora tenha continuado a haver trocas de, em média, 2,5 milhões de seringas por ano (dados de 2002 em diante).
E agora 2012/ 2013???? 


Alguém sabe????   ~

Comente...