PARA VER OS VIDEOS PARA A MUSICA

Global Debate Guerras das Drogas

Loading...

terça-feira, 31 de julho de 2012

Brasil Comissão Global de Política de Drogas


Um grupo de notáveis apresentou terça-feira 25 Janeiro 2011 em Genebra uma iniciativa conhecida como Comissão Global de Política de Drogas.


Ao invés da estratégia habitual baseada na repressão, esses políticos e intelectuais propõem eliminar as penas para a possessão de certas substâncias narcóticas.
Trata-se da Comissão Global de Política de Drogas, cujo objetivo é apoiar no mundo inteiro políticas eficazes e humanas de redução da pobreza, mas também provocar um grande debate público das atuais políticas de luta contra a droga.
 
A Comissão parte do princípio de que “a guerra conta as drogas está perdida de antemão” e que as políticas repressivas praticadas em países como os Estados Unidos não serviram para quase nada. É assim que esse novo órgão, composto de personalidades de renome mundial, foi lançado em Genebra.

  Algumas das perguntas a que este seleto clube tentará responder, estão, por exemplo:

Quais são os riscos e vantagens de descriminalizar a posse de maconha para consumo próprio? Quais são as alternativas para a falida guerra contra a droga?
 
Para encontrar resposta a essas questões difíceis, a comissão pretende  “colocar na arena internacional uma discussão baseada em evidências científicas que leve em conta os direitos humanos.”

 Segundo observam, em numerosos países as consequências associadas à erradicação do cultivo, a violência sistêmica e a corrupção endêmica ligada ao dinheiro da droga “supera em muito os problemas do próprio consumo.”
 
Conforme a comissão, a atual polarização entre partidários da mão firme e da tolerância “bloqueia o debate.” Em muitos países, as políticas repressivas prevalecem sobre as políticas baseadas em princípios científicos e sociais. Porém, há exceções.
O exemplo suíço

Pragmatismo helvético, somadas à compaixão e ao respeito dos direitos humanos.

Em uma carta aberta apresentada terça-feira e publicada por jornais suíços, o ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso e Michael Kazatchkine, diretor executivo do Fundo Mundial de Luta Contra a Aids, dão uma resposta possível às perguntas formuladas acima.

Na opinião deles, o exemplo a ser seguido passa pelo “modelo suíço” O político brasileiro lembra os conturbados anos 1980, quando o consumo de heroína por via intravenosa fez estragos entre viciados em Genebra e Zurique.

Ao invés de criminalizar o doente, a Suíça optou por uma política revolucionária baseada em distribuir drogas, com estrito controle médico, aos toxicômanos  de há muto tempo. Segundo Fernando Henrique, enquanto em países como Rússia e Estados Unidos os infectados pelo HIV aumentaram exponencialmente, a situação na Suíça foi mantida sob controle.

De fato, do lado oposto da balança está o exemplo norte-americano. Os Estados Unidos optaram pela repressão policial em larga escala, aumentando também exponencialmente o número de prisões e de prisioneiros.

Mas se os Estados Unidos têm a maior quantidade de presos por tráfico e consumo de drogas, um “numero desproporcional entre eles são latinoamericanos e afroamericanos.

Nas palavras do ex-presidente brasileiro, “essa ofensiva permitiu aos cartéis da droga obter mais lucros do que nunca e já controlam populações inteiras na América Latina.”

 Para concluir, Fernando Henrique afirmou: "Exemplos como da Suíça ou Portugal demonstraram que existem melhores soluções (ao problema da droga) do que a repressão”. Soluções que passam pelo pragmatismo helvético, somadas à compaixão e ao respeito dos direitos humanos.
 



Rodrigo Carrizo Couto, swissinfo.ch, Genebra
Adaptação: Miguel Monteiro
http://www.swissinfo.ch/por/reportagens/Por_uma_nova_politica_de_drogas.html?cid=29341516


Investir em tratamentos???





Cientistas da Universidade de Genebra divulgaram uma pesquisa cujos resultados poderiam ser utilizados no combate à dependência de cocaína.

Eles desenvolveram um método que apaga os traços deixados pela droga no cérebro de ratos e normaliza o comportamento do viciado.

Facto :

A cocaína é uma substância com grande risco de causar dependência. Ela oferece uma sensação positiva, mas depois que o efeito passa o usuário necessita de mais doses. Sabe-se que ela deixa vestígios no cérebro, o que significa que uma recaída pode ocorrer depois de meses ou até anos apesar da pessoa ter parado de usar a droga.

Em um artigo publicado na revista científica "Nature", a equipe do Departamento de Neurociência da Universidade de Genebra demonstrou como utilizou ratos para provar que os vestígios do consumo de cocaína podem ser eliminados no cérebro. E isso não é tudo.
 
"Foi a primeira vez em que conseguimos manipular especificadamente a conexão entre duas células nervosas para modificar o comportamento da dependência", explica o chefe da equipe, Christian Lüscher.

Os pesquisadores aplicaram um processo relativamente novo denominado "optogenética", descrito por Lüscher como "uma técnica verdadeiramente revolucionária e que pode mudar muita coisa."

… Ele acrescenta que os usuários podem se recuperar do vício, mas o risco de recaída é bastante elevado. "Se eles são confrontados com uma situação (de risco), são mais propensos a consumir a droga do que uma pessoa que nunca a experimentou anteriormente."
"Esperamos que, ao apresentar algumas novas ideias das ciências básicas, poderemos ajudar a ter novas iniciativas nessa direção."
Isobel Leybold-Johnson, swissinfo.ch
Adaptação: Miguel Monteiro




Liberalização do consumo de Drogas no Brasil faz-nos pensar…


Liberalização do consumo de Drogas no Brasil faz-nos pensar…



Com a legalização seria mais fácil a identificação de usuários, vez que eles sairiam do casulo, não se sentiriam marginalizados e teriam assim, a oportunidade de usufruir de políticas públicas de atendimentos aos drogados de uma forma mais ampla e sem máscaras
IN:

…vi isto neste link acima, e é assustador.

 Pensar que podem identificar os chamados “drogados, usuários”, como uma praga.
Ser vistos como o excremento da sociedade,um tumor a erradicar, a forma como dizem… identificação de usuáriosé simplesmente assustador, repito..
Será que um dia depois de saberem quem são os usuários também somos tatuados para que:

”Atenção este é um drogado cuidado”



Que triste, a sério, que , o pensamento de quem não faz uma pequena ideia do terror que é ser toxicodependente…



Esta gente que se acha perfeita e imaculada…


O facto de um determinado país liberalizar este consumo e apoiar os toxicodependentes a comprarem Droga, não vai fazer com o que o narcotráfico termine.


A Maconha ou Chamon não é o problema porque o consumo de maconha não faz as vítimas do mundo da droga. se este fosse o problema ..ó pá deixem as pessoas até fazerem um jardim em casa...a droga não é esta


Falamos de heroína e cocaína e outras como metafetaminas, falemos do problema REAL...

 Porque o narcotráfico é, e sempre foi feito pelos senhores de fato e gravata, que ou estão na politica ou na policia e outros grandes empresários que se estão hoje na alta sociedade foi porque deixaram o “Al Capone “da coca trabalhar a vontade…

 O que vai acontecer é que apenas desta vez constroem uma empresa, uma farmacêutica. Sabem aquelas que constroem as doenças e depois vendem-nos as vacinas…

As que cultivam campos e campos de papoila e depois contribuem com dinheiro para comprar armamento para queimar a concorrência no Afeganistão
Mas claro tudo legal…

Desde que paguem parte dos impostos…tudo bem
Então já sabem ao invés de ser necessário roubar …tanto, sim porque duvido que te deem aquilo que nós quando no ativo consumimos, pessoalmente nunca gastei por dia menos de 100 euros em cocaína e heroína, mas pronto tiram-te a ressaca.

E já que te tiram a ressaca imagino o que te acontece se fores apanhado a roubar…
Não compreendo porque é que ao invés de fazerem isto, e se de querem se ver livres de nós os DROGADOS, porque é que não facilitam o tratamento com a metadona?

Ou até mesmo o tratamento em clinicas que não sejam uma máfia como 90% delas aqui em Portugal?

Porque é que o estado não as cria , faz nestas escolas sim formação nessas mesmas clínicas, as pessoas quando saírem do tratamento precisam de trabalhar, de fazerem a vida, de vencerem na vida.

Incentivem as empresas a contratarem o pessoal, deem uma oportunidade, tirem o pessoal da zona de uso.

Façam uma verdadeira vistoria a essas clínicas tanto as grátis que os poem a trabalhar assim como aquelas que uma desintoxicação custa 3000 euros quase 9000 reais ao mês, e arranquem de vez essa podridão que diz que ajuda e apenas explora carne…

Eu tive em algumas clínicas aqui em Portugal e no Brazil e se eu conta-se o vi…

Enfim liberalizar para vender de outra forma…ou seja o povo através dos descontos vai ter que andar a pagar o “cavalo” Heroína  e a “branca” Cocaína na mesma…

Porque é que ao invés de consultarem gajos que tiveram como eu no ativo 18 anos e agora estão recuperados e vivem do seu esforço e da sua vida, vão consultar betinhos universitários que aprenderam com um boneco o que é melhor para nós…


Politico que vivem nos seus condomínios fechados e nada sabem? Juízes que julgam pela tua cor ou pela tua aparência ou até porque o café da manhã não estava a seu gosto, porque ?


Se necessitarem que dê alguma conferência , envie  email para : miglmonteiro75@hotmail.com

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Rocket Man - Videos David Fonseca

"I see the sun rise over this wall,I watch it break and slide, See my nameSee my name on the wall"

David Fonseca


David Fonseca , Um artista Português em Ascenção um Poeta, um Mago, um Homem um Vivente, Conhecedor, uma Lenda....
Miguel Monteiro



Rocket Man - Videos David Fonseca

domingo, 15 de julho de 2012

Quando fui um Sem Abrigo...


Viver como sem abrigo nas ruas de Lisboa
Uma Noite como
sem abrigo

Acordei cedo… 

Eram umas cinco e meia da manha, todos dormiam...
Ao meu lado estava um homem deitado deve ter uns sessenta e tal anos, porque pouco durmo pela falta de sossego, e de consciência amarga, vi que este se levantou diversas vezes durante a noite, deve ter algum problema grave de saúde pois geme de dores enquanto se arrasta para aquela coisa a que chamam de casa de banho, o cheiro é horrível, são bem cerca de 300 homens e umas 100 mulheres a usar aqueles lavabos, é simplesmente grotesco e o ambiente é de cortar á faca .
 Ali encontra-se todo o tipo de gente ,desde pessoas que perderam as suas casas,  outros que saem da prisão e não têm para onde ir, prostitutas, alcoólatras, toxicodependentes, enfim toda a podridão e mais alguns que por coisas da vida ali foram parar, o cizento da cidade de Lisboa, aqueles que todos dias estão ao nosso redor ,sejam eles disfarçados ou até aqueles que muitas vezes preferimos não olhar. Emigrantes de todo lado,  uns melhores outros piores uns de famílias desconjugadas outros com historias para contar, mas, não passam disso mesmo, historias para contar,
 Antes de ir para este lugar deprimente e aterrador já tinha ouvido falar dele e fiz sempre tudo ao meu alcance para não ter que ir para lá, inclusive preferi os vãos de escadas durantes meses ou os jardins da Gulbenkian ou até mesmo paragens de autocarro, mas felizmente ou infelizmente acabei por ter que ir, a rua foi demasiado cruel para um betinho como eu.

 O frio cortava-me os pés e já não conseguia andar…
 A solidão era igual a um buraco sem fim que me consumia.


Durante a noite levantei a cabeça umas seis vezes …vi-o embrulhado naquele lençol gasto.
 – Caluda- ouve-se de outros menos sensíveis ou fartos de serem acordados durante a noite.
 Naquele quarto existem sete beliches de ferro enferrujado e com uma espécie de colchão que não são mais do que esponjas cobertas com um tecido velho e poeirento.
 Fico a pensar quantas pessoas já dormiram e morreram naqueles mesmo colchões, eu próprio assisti a outros morrerem de tuberculose e nunca ninguém mudou nada.
Num contexto normal deveriam queimar tudo o que estivesse estado em contacto com essa pessoa. Nunca antes me imaginei a pernoitar em tal sítio. Mas ali estou a acordar mais cedo que todos, e ponho-me a caminho da meu objetivo.
Só quero sair dali, só penso em sair dali, melhorar, ganhar corpo,  tapar as peles, preciso de me renovar afinal de contas já tinha feito isso e consegui enganar a tudo e todos, geralmente a pele dos toxicodependentes fica escura e criam covas na cara assim como os dentes apodrecem e mesmo que larguem os consumos nota-se bem que são o que são.
Tal e qual como eu sou o que sou.
Tive sorte, penso que Deus me ama tanto que me poupou-me dessa desfiguração dessa característica que muitas vezes nos define, sempre mantive o meu bom especto físico, claro se estiver limpo ou seja se não estiver a consumir.
Penso se realmente serei assim um homem de cicatrizes ou se sou de deitar para fora de vomitar o que me incomoda e por isso não ficar imprimido em minha tela as marcas da vida…talvez pela educação ou exemplos dos meus pais, talvez pela curiosidade de querer saber um pouco mais do que há, ou por medo, medo da morte, medo de desfiguração que retrata outros.
Naquele dia, naquela manha, enchi-me de coragem e  coloquei a mochila aos ombros, depois  coloquei uns ténis baratos que comprei nos chineses com o meu ordenado de part-time que havia arranjado á um mês atras, uns calções de supermercado e uma t-shirt velha que me deram no centro de sem abrigos, só me queria pôr bem, voltar a ter orgulho em mim, sair dali, e desta vez tinha que ser eu e só eu porque nem da esquerda nem da direita nem de cima nem de baixo vinha ajuda ou alento, ao fim ao cabo já á muitos meses que os meus pais nem ver me queriam.
 O que mais me doía, è que pouco via ou falava com o meu filho.
Não é que o meu filho não me amasse ou não quisesse falar comigo, não é porque tinha vergonha do que me havia tornado.
 Sabia bem que tinha chegado a um estado que mais baixo eu não poderia chegar, agora só tinha uma saída e era me levantar, nada mais havia a perder, só se fosse a vida, e tinha uma bênção muito preciosa que é de aproveitar pois muitos com atitudes mais pequenas do que aquelas que tive, não tem, a Liberdade, o não estar atrás das grades, depois de tudo o que fiz era lá que devia estar, ainda tenho pesadelos de coisas que fiz, muitas vezes fui detido por infrações que nem me passam pela cabeça o fazer quando agora limpo e sóbrio.


Eu sempre fiz tudo para ir aos extremos mas o facto é que nunca soube quando deveria sair do comboio até que descarrilei e amachuquei a tudo e a todos até ao dia, para mim houve o Dia e para ti? Até quando?



sábado, 14 de julho de 2012

A Recaida Speedball jogos de Morte


A recaída

O cheiro da morte rodeia tudo, a podridão entra-me pelas narinas e faz-me sentir fraco. A minha cabeça parece que sente estalos, a minha garganta seca, as minhas veias dilatam, e o meu estômago as voltas…
O céu está cinzento e não ajuda, o chão sujo da merda dos cães é como se fosse uma gincana que me persegue. Odeio os meus passos, não me tolero, uma luta constante em mim empurra-me para um abismo sem fim, é como se estivesse a sufocar, imagens de uma consciência em ruptura tentam-me parar, mas o meu objectivo é este á semanas, foi planeado ao pormenor, ansiado, como se predestinado a acontecer. Fingindo vou pensado… é só hoje. Mas o só hoje já não existe, as tretas do costume já não pegam e sei o que me espera
Penso – Só desejo que ainda lá esteja, só espero que ainda la esteja o homem a vender- eu não devia pensar assim, nesta altura do campeonato o meu pensamento deveria ser- não Miguel isso é tudo uma mentira, sabes bem que não é só hoje…
Parece que liguei um interruptor como se já não pudesse voltar atrás, as cólicas traem-me a minha cara está a ferver, e sinto a pulsação a cem á hora.
Não esboço qualquer expressão facial de sentimento, como uma seta a atingir o seu alvo dirijo a toda velocidade, odeio os semáforos, odeio o vermelho, queria ter uma máquina do tempo e me pôr lá já…
Penso - Só 50 euros, não gasto mais que isso. - e nem penso no quanto me custa noutras situações gastar o mesmo valor.
Passo por uma farmácia e compro umas seringas, mas não fico ali, 4 de branca (cocaína) e uma de castanha (heroína), e mais o bónus trago mais uma de castanha para não ficar muito ansioso. Estes são os meus pensamentos a alta velocidade enquanto ponho as mudanças e faço as curvas com os pneus a guinchar.
Passo o Arco Carvalhão, e estou e já estou quase a chegar…as ruas sujas e o tempo escuro prepara o meu enterro com os nervos as veias escondem-se e doí-me o estômago, como se me tivessem a dar um nó e a espremer-me por dentro…está consumado.
Meia laranja, que dias morri ali, sim morri, não posso dizer que vivi ali porque não é mesmo verdade.
Estaciono o carro e escondo algumas coisas debaixo dos assentos, afinal é só carochos "outros aditos em estado lastimoso" e eu próprio noutras alturas partia de imediato um vidro para me “orientar”.
Como à muito que não consumo chamo um daqueles como eu já fui, ou seja aqueles que vendem bombas “seringas” e pergunto que tem boa branca.
De imediato levam-me ao homem, já meu conhecido.

Claro que já não vou para o carro, na parte de traz onde era o antigo casal ventoso  ponho 2 quartas de branca e uma de castanha na carica "recipiente para fazer a mistura de água cocaína acido ou limão para diluir a heroína e claro a própria heroína a conhecida speedball minha droga de eleição" faço um garrote  e dou o caldo, eram umas 12 horas quando cheguei ao antigo Casal Ventoso, sei que saí dali por volta das 22h depois de gastar 400 euros e para me acalmar tive que trazer para casa azuis,Dormicon "comprimidos habituais que os toxicodependentes usam e injectam para se libertarem da ansiedade da cocaina muito perigosos que matam ( e vi muitos a morrer assim)",  que esmago diluo em água e injecto caindo no chão acordando as 5 da manha do outro dia, tendo eu caído de joelhos a pensar…meu Deus o que fui fazer?…como fui eu fazer isto?… e choro como um perdido, retomo os meus dias de tratamento e tento esquecer isto…


“ Estar a escrever isto foi mais complicado do que pode parecer e talvez por isso as ultimas frases tenham sido demasiado curtas e insípidas, a verdade é que mexe muito comigo, pela descrição inicial dá para ver o que faz ter a recaída e o fácil que é…”


Vais Acordar?




A vergonha de viver mais um dia. O tormento de acordar. Pesadelos que me perseguem, e aquele vermelho? Aquele sangue que se mistura?

A mistura dos pesadelos, do vermelho, a vergonha, o tormento que me persegue. Acordar e viver mais um dia.

Mais um dia a vergonha que me persegue. A mistura daquele sangue. O pesadelo vermelho, viver ter que acordar.

Vermelho o sangue faz acordar. Viver o dia o tormento. A vergonha mistura o pesadelo que me persegue.

Persegue o dia. Mistura o vermelho que te faz acordar. sangue que Pesadelo! Que vergonha um tormento.

Tormento de sangue neste dia. Viver a vergonha. O pesadelo vermelho. Mistura e persegue o acordar.

Mistura o Pesadelo, o viver, a vergonha com o sangue vermelho e o tormento de viver. Vais acordar.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Metadona elimina células anormais que criam Leucemia




EFEITOS FÍSICOS DE METADONA

A metadona é uma droga opióide sintética com efeitos que podem tratar a dor crônica e a toxicodependência , bem como outras condições médicas. A Metadona liga-se aos recetores opiáceos no cérebro e tem efeitos semelhantes aos da morfina e heroína.
Os efeitos colaterais da metadona pode incluir sedação, prisão de ventre, confusão mental, boca seca, comichão, náuseas, suores, rubor facial ou seja vermelhão e desacelera da respiração.

Nós que consumíamos heroína podemos estabilizar com metadona.
Isto é algo que já sabemos independentemente se optamos ou não por este tratamento o facto é que quem o faz tem uma taxa de sucesso e de estabilidade de vida substancial , eu sou um desses exemplos…

Pontos positivos perante a vida quotidiana e a sociedade e nós mesmos…:

A metadona é administrada por via oral, elimina logo por aí o injectar ou seja por via sanguínea, logo a transmissão da doença

Atividade criminosa associada com o uso de drogas .

A metadona pode reduzir a ansiedade e bloquear os efeitos eufóricos de outras drogas e é menos susceptível de produzir "Pedrada", mesmo quando injetada.

Somos capazes de se beneficiar desta terapia sem custos , manter um emprego e ser pais responsáveis.

Sintomas de abstinência de metadona são semelhantes à da Heroína,

Uma dosagem única diária é suficiente para a manutenção.

A duração do tratamento é geralmente aberta ou seja tens opção de escolha, no entanto, um estudo sueco de 38 pacientes que fazem manutenção com metadona em Estocolmo mostraram que aqueles que fizeram o desmame da metadona, seja com ou sem sucesso, teve uma melhor qualidade de vida 15 anos mais tarde em comparação com indivíduos que nunca tentaram o desmame.

Isto faz-me pensar em deixar a Metadona…

Os resultados foram publicados em julho de 2010 "Journal of Psychiatry nórdica."


ANTI-ANTITÚSSICOS

A metadona tem efeitos semelhantes aos da codeína e dextrometorfano em que é um tratamento eficaz para a tosse seca,
Os Centros de Controle de Doenças e Prevenção indicam que a metadona foi comercializada como um supressor da tosse muito antes de ser aprovada para o tratamento de manutenção da toxicodependência

. Aqueles com doença pulmonar obstrutiva crônica e câncro de pulmão são mais susceptíveis de beneficiar dos efeitos anti-antitússicos da metadona.

 

ANTI-CANCRO

A metadona tem propriedades que lutam contra a leucemia, de acordo com achados de pesquisadores alemães publicados na edição de agosto de 2008 "Cancer Research". Neste estudo, a metadona havia destruído células anormais e inibiu a proliferação de cancro no sangue em formas que não prejudicam as células normais. O tratamento foi encontrado para trabalhar contra alguns tipos de leucemia que são resistentes à quimioterapia e radioterapia.



quarta-feira, 11 de julho de 2012

Metadona numa catastrofe o que fazer?


Muitas vezes fico a pensar...

E se um dia  acontece uma catástrofe?

 E se um dia  ficarmos privados das doses diárias de metadona?

 O que fazer?


Pergunto-me por exemplo numa situação que me veja envolvido...

por exemplo...

 Um terramoto...?

um tsunami...?
            
Um ataque alienígena?  lol

Uma crise financeira sem recursos para nos continuar a fornecer a metadona?

 ou uma qualquer outra situação possível, mas fora do comum... claro, 

Algo que me impeça tomar a dose que dependo?

Após uma curta pesquisa e troca de emails com psiquiatras e clínicas em vários pontos deste nosso país, Portugal descobri uma coisa assustadora...

 uma vez na metadona, nós, sim, nós todos, dependentes deste químico o sair da metadona depende apenas de nós. 

È que só há um jeito para quem toma doses de “cavalo” como eu e muitos mais, é o desmame

A “publicidade” da internet e TV de desintoxicações e curas rápidas e indolores não são direcionadas a uma substância tão forte como a METADONA.

As desintoxicações de uma semana? Essa utopia que poucos lhe podem chegar por motivos financeiros? Isso é para essa heroína que se vende aí nas ruas de Lisboa e etc, para aquilo que na rua chamávamos de cavalo cortado com Nostam ou seja aquilo que nem bate...

 conclusão: 


O tratamento com Metadona é um pau de dois bicos.

Quando as pessoas não tem projetos e sonhos e vivem num país onde esta seja de fácil acesso e grátis como o nosso actual Portugal... tudo bem .

Agora quando tens planos, necessitas de viver, então é perigosa é um empecilho, é uma PRISÃO.

Busca forças, olha para ti, ama-te, cuida-te, sonha, pensa em ti, projeta e voa, faz um esforço para não consumires para que não tenhas que usar Metadona.

Claro que se tiveres dinheiro podes sempre ir aos EUA fazer uma desintoxicação rápida e bastante promissora, mas no nosso bom Portugal não vale a pena.
Tens que fazer o desmame progressivamente.

Nesta pesquisa falei para clinicas que me prometeram que em 15 dias me faziam a desintoxicação por 2000 euros. 

Outras tinha que ser em 28 dias por "apenas" 2980 euros.

Os que foram honestos disseram-me que não existe isso de desintoxicações rápidas com a percentagem de metadona que tomo. Que muitos tomamos.

Hà quem o faça a frio, eu nunca vi...

"Atenção não quero estar a dizer sim ou não, no entanto se o fazem são corajosos."
Eu não seria capaz...






quinta-feira, 5 de julho de 2012

Metadona em Macau

http://www.ssm.gov.mo/design/hotline/p_hotline_rg.htm
MACAU




MACAU



MACAU: CURA COM METADONA É A MEDIDA MAIS “EFICAZ”



http://vihsidanoticias.wordpress.com/2011/03/15/macau-cura-com-metadona-e-a-medida-mais-%E2%80%9Ceficaz%E2%80%9D/



Visita da Comissão de Luta contra a Droga à Comissão de Combate à Droga de Guangdong


 Comissão de Luta contra a Droga visitou a Comissão de Combate à Droga da Província de Guangdong, bem como, o Centro de Controlo e Prevenção da Doença de Guangdong e um Posto de Tratamento com metadona na cidade de Guangzhou, o que proporcionou a experiências relacionadas com o trabalho de combate e luta contra a droga e os serviços de tratamento da toxicodependência, tendo-se ficado a conhecer as novas estratégicas e os serviços existentes no âmbito de combate à droga desta província.


Tang Wai Hong revelou que desde o ano de 2006 em que começou a implementar o programa de tratamento de manutenção com metadona, um total de 56 postos de tratamento com metadona foram criados na Provincia de Guangdong e um total aproximado de vinte mil pessoas beneficiaram deste serviço em 2009, fazendo com que o número de pessoas que estão a receber este serviço ultrapasse as 6500.

http://www.ias.gov.mo/pt/news/content.jsp?newsid=3938