PARA VER OS VIDEOS PARA A MUSICA

Global Debate Guerras das Drogas

Loading...

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Tomar metadona na Europa

MEDICAÇÃO HIV vs METADONA

Gostava de dar aqui um alerta se por acaso começaste a tomar medicação para o HIV e entretanto já estas a tomar metadona, fala com o teu médico porque os retrovírais cortam o efeito da metadona ás vezes quase 50% e isto pode te levar a abstinência e consequentemente a uma estúpida recaída e muita das vezes a culpa é dos médicos que não avisam o doente e isso acontece muito, logo o que tens a fazer é no centro que estás a tomar a metadona indicar o nome da medicação HIV, para que te seja novamente estabilizada a dosagem , imagina que tás a tomar 50ml se os retrovírais te retiram 50% é igual a 25 ml que vais ter que somar ou seja terás que tomar 100 ml para que fiques com os 50% destes que é os teus 50 ml , e isto vais fazer com que te sintas bem , claro que a opção é tua.






Gostava que te desses ao trabalho de lêr um pouco este blogue porque para além de te poder ajudar se tiveres que "nesta altura de Crise que o nosso Portugal está a viver" emigrar, então tens aqui algumas dicas de como se processa a toma da metadona em alguns países que eu tive a trabalhar,  vai ser uma ajuda porque não terás que procurar tanto como eu, mas se tiveres a hipótese de deixar de tomar metadona então o meu conselho é que deixes, uma coisa posso te dizer eu tomo uma dose brutal, 120 ml, eu fico mesmo com a pedra com esta dose e eu não desço a dosagem.
Já à 2 anos que a tomo e no meu caso e pelos anos de consumo e recaídas constantes, não há um dia que me arrependa.
Eu que vivi nas ruas morei na Meia Laranja e procurava portas de prédios para pernoitar onde os bancos de jardim eram muitas vezes a minha cama e um cartão o meu cobertor numa solidão assoladora, e hoje sendo eu um profissional qualificado, com casa, e tudo de melhor nesta, tendo o meu filho ao meu lado, o meu carro, a minha saúde restituída, se me perguntares se um dia vou deixar de tomar a metadona, não sei... tem sido o meu suporte este "maldito" opio para ser novamente EQUILIBRADO e Feliz, por isso não, não me arrependo de ter tomado esta decisão de estar a tomar uma dose de caixão á cova, pois se não fosse assim já estaria enterrado e morto, isso é certo... por isso se te fizer sentido o blogue lê...eu criei com o intuito de exorcizar os meus demónios e também de ajudar o próximo porque o que encontrei na Net sobre isto era vago e por isso achei que o devia fazer, e sempre que posso vou adicionado assuntos relacionados...fica bem




Síndrome de Abstinência aos opiáceos: sintomas e sinais



Sintomas:


  • Caimbras abdominais
  • Diarréia
  • Anorexia
  • Elevação da pressão arterial
  • Ansiedade
  • Febre moderada
  • Insônia
  • Taquicardia
  • Desejo irrefreável da droga
  • Midriasis
  • Cefaléia
  • Lacrimejamento
  • Náuseas
  • Piloereção
  • Disforia
  • Espasmos musculares
  • Fatiga
  • Vômitos
  • Irritabilidade
  • Rinorrea
  • Ondas de calor e frio
  • Mialgias
  • Bocejos
  • Sudorese
  • Inquietude




A overdose de Metadona produz os mesmos efeitos secundários que a overdose de heroina e de outros opiáceos agonistas (tabela 6) mas estes se prolongam por 24-72 horas devido a sua vida média mais prolongada. Com relativa freqüência, o  UDVP além da metadona, se injetará heroina e outras drogas ou medicamentos.

A tríade característica compreende sonolência ou coma, depressão respiratória e miose puntiforme. Pode haver midriase na intoxicação  mista por cocaína, anfetaminas, petidina, anticolinergicos ou por um quadro grave de anoxia.

Na primeira fase da intoxicação há um período de  excitação com euforia, seguido de inquietação, agitação, disforia, apatia e, posteriormente, depressão com sonolência progressiva até o coma profundo, flácido com hipotonia osteotendinosa. 


A ingestão concomitante de álcool, benzodiazepnicos ou barbitúricos podem potenciar a diminuição do nível de consciência. 


O aparecimento de arritmias cardíacas pode ocorrer devido ao uso de cocaína, de quinina (empregada na adulteração da heroina), ingestão de antidepressivos tricíclicos ou a uma hipoxemia grave. 


A ocorrência de convulsões é rara, e pode estar associada ao consumo de petidina, dextropoxifeno, cocaína ou ao uso de estricnina como adulterante.
Hoje em dia, o edema agudo é raro e mais associado a metadona.






Como tratar uma overdose

Se o paciente parar de respirar, inicie a respiração artificial de imediato.

Se houver necessidade de respiração artificial, obtenha auxílio médico imediatamente.

Caso contrário, fique com o paciente para evitar acidentes enquanto ele estiver intoxicado.

Espere até que os efeitos da droga desapareçam, o que deve ocorrer em cerca de trinta minutos, caso outras drogas não estejam envolvidas.





A prescrição de metadona na Suíça: depoimento - swissinfo

Ví este depoimento e como o blogue fala não só de mim mas de uma ajuda para com todos aqueles que estão a fazer um tratamento de metadona lá fora  ou que querem fazer ou que estejam perdidos porque necessitem de emigrar e acharem que estão "presos" a um programa exclusivo no país de origem , a minha experiencia fala de Hamburgo/ Alemanha e Barcelona/Espanha dos quais em ambos tive um suporte fantastico, este testemunho também ajuda por isso aqui está basta depois clicar no link acima.

Para mais informações leia o blogue, siga este blogue até porque estou sempre a adicionar novos temas relacionados com isto mesmo com a toma da metadona fora do nosso país e claro testemunhos meus e de outros.

vi também um blogue que gostei e sugiro que o vejam: 

http://excaroxo.blogspot.com/




Este é um dos 7 frascos que fui a farmácia e isto falo de uma farmácia normal que após uma receita que o medico do centro me passou comprei