VITAE - Associação de Solidariedade e Desenvolvimento Internacional




Coisas minhas.....

Às vezes,  sem qualquer razão, sem que seja propositado dou por mim a olhar para as cicatrizes dos meus braços.

São profundas e não me deixam esquecer de onde venho.
Às vezes gostava de não ter que me recordar...
Não mais pensar que um dia andei pelas ruas escuras e sujas de Lisboa sem ter lugar para dormir.
 Sentir as gotas da chuva a  baterem na cara e procurar uma porta aberta de um prédio para me abrigar.
Gostava de esquecer o sabor da cocaína depois de um caldo amaldiçoado pois veias já não havia...
As calças ensanguentadas e as seringas usadas.
Os algodões batidos e as caricas velhas, uma vela acesa e o rosto amargo.
Às vezes parece que foi ontem. 
É verdade para mim parece que foi ontem.
  A gastar o que não tinha, entrar pelos centros comercias de mão vazias e a sair deste  com o ego cheio porque tinha feito mais um roubo para uma dose.
Queria esquecer o choro dos meus pais que já não mais me aceitaram e me deixaram em desespero.
Entregue à minha sorte e aos meus pecados e que muito me ajudaram e vezes sem conta me perdoaram.
Pergunto a mim mesmo… 
Porque é que tiveste que ir tão lá abaixo?
Não te chegava o que tiveste?
Fico com raiva de mim...
Enquanto outros dizem para me orgulhar do que venci...
Tenho raiva de mim...
Com trinta anos, casado e com um filho  foste recair no que já conhecias?
E que recaída esta…
Já viste o buraco que cavaste?
Os amores que perdeste?
 Os azares que ganhaste?
Já viste que mesmo que penses que és hoje um homem livre…não és.
És um escravo do teu passado, tatuagens que o tempo não consegue apagar..."como diz a musica do falecido..."
Tudo pelo desejo da morte?
Ou pela falta de perdão?
As vezes olho para os meus braços e penso de onde vim…
Clínicas que nada fizeram… negócios feitos por outros pecadores, 
Comeste do lixo...
Mais do que uma vez, comeste dos caixotes do lixo.
 Ficaste  semanas sem tomar banho.
No autocarro as pessoas afastavam-se de ti...
Pesavas 65 quilos parecias um velho.
Não ligavas ao teu filho.
Pensaste no teu filho?
 Pensaste nos meses que não tiveste com ele?
  ele tão pequenino já se preocupava tanto contigo...
Preocupaste-te com o choro da tua mãe
Aquelas rugas foram feitas por ti?
Como podes sequer pensar em recair?
Como podes sequer hoje viver por ti? 
E pensar só em ti?
Lembraste que disseste assim:
quero que se lixe tudo…
 vou-me matar?
 Vivias numa cave...
Um buraco alugado...
Deitado naquela banheira passas-te vezes e vezes sem conta aquela faca nos teus pulsos...
 Não cortava...
Choraste compulsivamente e não entendias porquê...
Sentiste uma voz que te disse...
não...
ainda não te vou deixar ir…
Pensaste se seria "Deus" ou "diabo" a falar...
Pesavas que fazias tudo a tua maneira.
 Que conseguias parar
 Era só aquela dose
 Nunca mais paravas ..gastavas tudo...
No fim…
Não chegava...
Nunca chegava
Já não tinhas veias...
Hoje para tirar analises tens que ser várias vezes picado...
Tens as veias secas.
Hoje mesmo que quisesses ser "normal" dificilmente e mesmo alguém te conhecendo, recuperado, te entenderia e te amaria como és.. como estás  e o que és...
Valeu a pena quereres fazer as coisas à tua maneira?

Às vezes olho para mim...

Pensas-te que isto era ser livre...
Recordas-te quando vivias nas ruas ou no centro de sem abrigos e dizias...
Que preferias ser preso a uma vida de responsabilidade do que ser “livre” e cambalear entre os vivos...
Às vezes, e sem qualquer razão, sem que seja propositado dou por mim a olhar para as cicatrizes dos meus braços. 





TOMAR METADONA NA ALEMANHA EM HAMBURGO




Ok….já não venho aqui colocar nenhum assunto a algum tempo e sempre que vier venho falar de mim e das experiencias que tenho com a  metadona.Ora o que se passa é que tive uma proposta de trabalho para Hamburgo e fiquei muito animado e muito feliz porque o dinheiro é muito bom e na altura de crise que estamos, construir algo é muito complicado em Portugal.


Mas aí vem o drama... eu actualmente tomo 120 mg de metadona e é complicado impossível quase ressacar ou fazer  desmame e nem quero.


Outrora em Barcelona foi facílimo o acesso a metadona basta um gajo levar a carta no medico a dizer que tas a fazer o programa e entregar a lá e nem analises de despiste te fazem.Deram-me logo 15 frascos para levar muito mais fácil que aqui em Portugal.


Mas Hamburgo eu não fazia ideia e foi aí que resolvi fazer uma pesquisa na net e encontrei o centro onde posso tomar e continuar o meu tratamento.Ainda não estou a fazer a metadona lá em Hamburgo e vou desde já deixar aqui os contactos do centro e os emails que tem claro que os escrever em Inglês apesar de haver um medico que fala Português.


Eles têm sido espectaculares respondem sempre aos emails que lhes mando uma das únicas coisas que me exigido é o numero de segurança social neste país porque sem isso podes tomar metadona como turista mas não fazer a longo prazo um tratamento.


Para teres numero de segurança social tens que ir a policia do estrangeiro e tens que ter um documento assinado pelo senhorio de onde resides é igual a Barcelona.


O resto porque somos EE temos todos os direitosO centro chama-se Daltona

Bom cá fica os emails: 

Este será ao cuidado do centro:

DAALTONA@aol.com   


Este será ao cuidado do centro:

Hans-Günter Meyer-Thompson

meyerthompson@aol.com  


Este ao cuidado de:

Kadja

altona@kodrobs.de    


Aconcelho a encaminhar o email para os 3, geralmente não demoram mais de 2 dias a dar resposta


Deixo, também o contacto telefónico e a morada :


Drogenambulanzen Hamburg GmbH, Drogenambulanz Altona.street + number:Holstenstrasse 115city + ZIP code:D – 22765 Hamburgprovince/county/area:Hamburgcountry:Germanytelephone:++49-40-43 29 25 - 0fax:++49-40-43 29 25 - 19

e-mail:DAALTONA@aol.com
Link: 

http://www.q4q.nl/methwork/countries/Germany/hamburg.html


HORÁRIO
Segunda a sexta 9.00-11.30 "atenção que na Alemanha as quartas-feiras ninguém atende, mas em todas as reparticões seja que tipo de serviço publico for, eles fazem tipo um inventario e reuniões etc...";
mo/tue/thur/fri  15.00-16.00;
weekends and holidays  12.30 – 13.30

Informações adicionais "transportes públicos":

Bus/Autocarro Nº 115, 183 and 20 
para: Holstenstrasse/Max-Brauer-Allee; 

Suburban railway (S-Bahn) to Holstenstrasse; 

Bus No 3 to Alsenstrasse / Holstenstrasse

Entretanto...


Ok passou este tempo de email.s e contactos telefónicos e indecisões  e puz-me a caminho de Hamburgo cheguei dia 5 de Julho e a 1ª coisa que fiz passados 2 dias foi ir a Daltona ao centro de apoio a toxicodependentes, no fundo fui á procura de uma necessidade que para mim é vital para que possa continuar a viver, sim viver porque infelizmente dois dias sem esta substancia é me impossível levantar, recordo-me quando ressacava de heroína, imagino agora com 120 mg de metadona como deve ser a ressaca, aliás nem imagino mas também não tenho interesse em saber.


Daltona fica mesmo perto de St Paulis uma localidade muito conhecia e turística na cidade de Hamburgo, parece que uma pessoa chega a uma espécie de Las Vegas, a cidade em sim é o retrato de uma cidade que é fustigada pela droga , vê-se muitos sem abrigos, e toxicodependentes na rua, não tem nada haver com aquilo que imaginava, a cidade é muito suja e os cheiros não são agradáveis.



esta tabuleta foi uma foto que tirei com o telemóvel a subir as escadas do centro de tratamento à toxicodependência de Daltona








 Ora bem pessoal então isto é assim como eu acredito nas pessoas e como eu burro fui trabalhar para Portugueses na Alemanha fui convencido que as pessoas seriam sérias e que teria segurança social neste pais, enfim, o normal que qualquer funcionário deve ter seja em que pais for especialmente se este pertencer a CEE,.


Tinha apenas levado 15 frascos de metadona de Lisboa seria para ter tempo de tratar de tudo com o medico no centro de Daltona e para ter o meu numero de seg. social , enfim o normal, claro que o numero de seg. social não foi criado pela entidade patronal e ao contrario de Barcelona na Alemanha tens que ter o numero da s.social para teres direito a tudo o que é relacionado com medicina que pagas uma pequena taxa de 10 euros de 3 em 3 meses mas tens direito a tudo.


Expliquei no centro que ainda não me foi criado ainda o numero de seg. social mas que seria, pelo meno segundo o que me foi dito pelo meu patrão,como tinha levado uma carta do centro de Xabregas em Lisboa a dizer que eu estava a fazer um tratamento de metadona e que estava a tomar 120ml, falei com o medico um senhor muito atencioso alemão mas que tinha vivido 9 anos no Brasil falava muito bem o português e pela credibilidade fisica e psicologica que demonstrei com o meu discurso, mais as analises que me fizeram neste mesmo centro e como de facto estas apresentavam como resultado 0 de cocaína e 0 de heroína e positivo na metadona o médico deu-me duas receitas para que eu pudesse ir a farmácia levantar 7 frascos ou seja metadona para uma semana, cada frasco de 120ml ficava-me a 3,50euros , mais ou menos.


Claro que se eu tivesse a seg. social não pagava nada.


O médico marcou a próxima consulta e informou-me que assim que tivesse o numero então que me apresenta-se com este para que pudesse adquirir gratuitamente.
Uma coisa que eu devia ter levado de Portugal e que fica aqui o CONCELHO é que se puderem antes de saírem de Portugal irem a nossa segurança Social e pedirem o número de segurança social internacional.


Para mais informações  ” isto é muito importante e eu pessoalmente não volto a viajar sem”:


http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/informacoes+uteis/saude+em+viagem/cartaoeuropeudesegurodoenca.htm


Ou seja para ter metadona para as 4 semanas eu gastava a media de 120 euros ou seja uma renda mensal.




Este é um dos frascos que fui buscar a farmacia tire esta foto para vos mostrar a diferença daqui




Barcelona


...Em Barcelona não foi nada assim, levei a carta mas não me pediram mais nada nem analises fiz, deram-me logo 15 frascos e muito bem recebido sem qualquer despesa.


Quero também alertar para que saibam é que a metadona é diferente em qualquer destes países tanto em Barcelona como em Hamburgo/Alemanha a metadona é muito mais forte, mas muito mesmo. O que eu mencionei ao medico na Alemanha o que o deixou muito surpreendido e me disse que não deveria ser assim. Que a metadona deveria ser igual em todo o mundo, isto é algo que terei que tirar a fundo até porque são estas coisas que fazem as pessoas terem recaídas. Até porque já aconteceu a todos a metadona não ser sempre igual.
Enfim pessoal penso que escrevi quase tudo vou só por aqui uma foto de um dos frascos…ah…aqui em Portugal levas a metadona em estado liquido e puro lá não em Hamburgo levas da farmácia sempre misturada com sumo de maça, em Barcelona dão-te a escolher que tipo de sumo queres, claro que isto deve ter haver com situações de possíveis indivíduos que devem vender o químico, bom em Portugal acontece isso.


Pelo menos já sei e vocês já tem uma ideia como isto se faz e que não é impossível irmos trabalhar para outro país, por isso pessoal mais uma vez e se tiverem qualquer duvida e quiserem perguntar algo relacionado estejam a vontande dentro do possível terei muito gosto em ajudar ou até mesmo “aconcelhar”.
Deixo aqui contactos de apoio para regime ambulatório, já sabem levar a cartinha do médico a indicar o que tomam e é só ir ao centro lá e começar a tomar , é perto da Rambulas  

Contatos em Barcelona

c / Nova Casa de Banho, 
16 -08002 Barcelona 
Tel. 933 177 820 - Fax 933 428 941 
E: info@cecasfundacio.cat

Tarragona
c / Agosto, s / n. Edifício Carmelitas. 43003 Tarragona.
Tel. 977 219 966 - Fax 977 241 572
E:  infotgn@cecasfundacio.cat

Lleida
Pl San Jose, 2 - 25002 Lleida
Tel. 973 283 081 - Fax 973 270 527

Eu tomei metadona , aliás eu ia buscar mesmo aos 15 frascos e não foi preciso ao contrário do que eu pensava do cartão de saúde e etc....nesta morada:


Morada: 

Generalitat de Catalunya C / Davant del Portal Nou 2 08003 Barcelona 

Barcelona 
Espanha 


Telefone: 93 3151863  






Deixar de fumar e uso da Metadona a dificuldade de o fazer:

 http://www.deixarfumar.com/


Uma das desvantagens de quem quer deixar de fumar é tomar metadona.  Tal como a heroína não ajuda nada aliás é um incentivo , puxa pelo cigarro e se já achava que fumava muito agora com o consumo deste químico metadona então o deixar de fumar parece estar mais longe.
Nós toxicodependentes temos a mania de o quer já e agora.
Ficamos frustrados quando não conseguimos rapidamente as nossas vontades, esquecemo-nos que para os comuns mortais é exactamente igual e condenamo-nos a nos próprios porque não conseguimos e acabamos por desistir.
Qualquer pessoa venha ele de onde vier tem que lutar para conseguir aquilo que deseja, as vezes ficamos revoltados e pensamos ...isto só me acontece a mim...não vale a pena lutar.

Ora este pensamento é o que te faz recair, agora se pensares naquele director do banco que já trabalha naquela repartição á 25 anos e hoje tem uma boa casa e um bom carro vais  perceber que ele começou como caixa ou paquete, mas perseverou, possivelmente estudou,

Ou se pensares naquele empresário que começou a vender bolas de Berlim na praia, e hoje tem uma serie de pastelarias ou mesmo aquele teu vizinho que tem uma boa tv em casa mas nunca toma o pequeno almoço fora,  se não olhares só para o exterior mas se te deres ao trabalho de olhares com olhos reais, vais verificar que todos lutam para os seus sonhos ou objectivos, mesmo os que nascem "com cu virado pá lua"...

O deixar de fumar dá trabalho e tal e qual como a droga mesmo que caias num buraco só tens mais é que te levantar e continuar...

Eu fiz umas dez ou mais  tentativas para sair da Droga e algumas tive bastante tempo limpo outras nem tanto, mas de todas as vezes quando recaia pensava para comigo se valia a pena continuar a lutar, o facto é que se não continua-se não estava aqui no meu PC a escrever este texto com certeza se não tivesse tentado estava MORTO
É lixado deixar de fumar, mas agora e visto que já estou á alguns anos a fazer o tratamento com a metadona tenho a certeza que o necessito fazer, sinto a isso física e psicologicamente.

Puz o site por uma mera consulta sobre o tema pois tem haver com o blogue e com  dificuldades que nós que fazemos o tratamento com a metadona nos deparamos, ou seja dá uma louca vontade de fumar exactamente ou quase igual quando consumíamos heroína




Quantas vezes já tentou deixar de fumar? E quantas vezes voltou a acender um cigarro, incapaz de resistir ao vício? Deixar de fumar não é fácil, mas é possível. Se acabar de uma vez por todas com este hábito está nos seus planos aproveite estes conselhos e comece agora mesmo.
Grande parte dos fumadores que fracassam é porque não tem vontade a 100%, no fundo eles já sabem que não vão conseguir pois não se esforçaram o suficiente e não se importam porque pensam que o mal só acontece aos outros, e as doenças não os vão afectar a eles. O primeiro passo é dedicação a 100%.
Não pode simplesmente acordar um dia e pensar “vou deixar de fumar hoje” – tem de estar preparado, tem de ter um plano. Esse plano deve conter um sistema de apoio, alguém com quem possa falar nos momentos mais difíceis e, claro, um sistema de prémios. Escreva numa folha o que vai fazer quando for assolado pela primeira vontade de fumar e coloque-a num local bem visível, tanto em casa como no trabalho. Se esperar por essa primeira vontade de acender um cigarro para saber como vai lidar com a situação, a batalha pode já estar perdida. Tem de estar completamente preparado para resistir a esses desejos.
Tem de ter motivação e pensar que para alem da sua carteira ficar mais gordinha, e logo agora nestes dias que correm, está a fazer bem á sua saúde e á dos que o rodeiam.
Quando for assolado por um desejo, não ceda, espere e faça o seguinte: inspire e expire 10 vezes, beba um copo de água, coma qualquer coisa, telefone à pessoa que mais o tem apoiado nesta fase, dê uma caminhada… faça o que tiver de fazer, mas atrase essa cedência até deixar de sentir o desejo. Pode demorar, mais ele vai desaparecer e você vai conseguir. Quando conseguir, celebre e vença esta batalha um desejo de cada vez.












VITAE - Associação de Solidariedade e Desenvolvimento Internacional



Xabregas zona tipicamente escura, suja e má frequentada .

Parece que tudo o que é viciados está ali,  é por ali que existe o CAT de Xabregas onde as consultas e a distribuição da metadona é para alguns tomas diárias outros levam durante alguns dias, logo a concentração de toxicodependentes é enorme.

Ao passarmos a pequena e velha ponte que sustenta a linha do comboio, temos a Escola Casa Pia e não muito longe o centro de acolhimento para sem abrigos conhecida por VITAE.

Este que alberga cerca de 300 pessoas quase na sua grande maioria, toxicodependentes no activo e também alguns deficientes mentais, idosos abandonados ou caidos nas suas vidas cheias de historias e pecados e álcool,

Muitas vezes se vêem a dormir nas ruas de Lisboa, caídos com olhares vazios e distantes uns que procuram mais um copo, outros mais uma dose, outros já nada procuram somente o silencio da morte e um descanso para uma vida outrora sem vida.

Também alberga pessoas que estiveram presas anos e anos a fio e sem família ou até mesmo com uma família que não será um modelo de família ou, alguns que nem família tem, saiem de prisões e visto não terem outro lugar para irem se acomodam anos e anos a esta vida que não é de todo vida mas uma sobrevivência um empurrar com a barriga, sem gosto, sem sentido, sem amor.

Muitos dos que estão a frequentar este local também são imigrantes dos países de Leste com problemas legais e de álcool assim como Africanos e Brasileiros com estas mesmas situações e muito mais.

Ao que parece nada disto me faz lembrar pessoas "ditas normais", dentro uma sociedade laboral e equilibrada, pelo o contrario aquilo que é visto como a escumalha de uma cidade perdida na fashion e vaidades de uma Europa civilizada encontra-se ali.

Isso mesmo. O podre da cidade que ninguém quer ver está concentrado na VITAE.

Chamavam-lhes à uns anos a Mitra, onde os Sr. Salazar os colocava para não dormirem nas ruas até porque dava mau aspecto a cidade, nestas instituições que por acaso hoje se encontram na mesma zona de Lisboa.

Esta ONG (VITAE), que vemos ali tem como entrada um enorme escuro e morbido portão verde onde esconde um gigantesco recinto repleto de camaratas frias e apenas com beliches ferrugentos com colochões velhos e imundos que servem de cama para muitos.

As paredes tristes brancas vazias,  podres da humidade mostram pequenas janelas partidas que nas noites geladas de inverno fazem tremer os que abrigados apenas com um lencol branco velho amarelado de velho e routos com um cobertor fino e antigo cinzento bafio lhes tapa a cabeça e o corpo de gente que morre aos poucos, entre gemidos e sonhos perdidos.

A maldade gela as veias e o sangue que corre nas suas veias muitos ja se encontram doentes, HIV, Hepatite C, e muito mais , doentes de fome e inveja , solidão e escuridão que lhes abate por falta de vida e vontade de lutar e de um dia poderem ser Alguém.

Quem nunca foi sem abrigo não tem ideia do que é estar só , viver nas ruas e ser só, muitos de nós pensamos que não conseguiriamos viver nas ruas nem só uma noite mas ha quem já nem se veja doutra forma nem neste lugar consiga ja procurar um espaço de abrigo para se esconder.

Muitos de nós pensamos que não conseguiriamos sobreviver a dias cinzentos mas acho que somos nós que pensamos que realmente não conseguimos isto,ou aquilo, na verdade não é bem assim...é verdade que são situações que não são faceis.

Há uma passagem qualquer que não me recordo bem onde na Biblia que diz que o Homem nunca é posto a prova mais que aquilo que o mesmo pode suportar.

Na verdade vos digo que isso é certo muitos de nós provocamos o suicidio por situações estupidas e sem nexo isto porque nós, pessoas, so somos postos perante situações dentro daquilo que possamos superar e eu sou o testemunho vivo disso.

São varios os factores que me levam a dizer isto entre os quais a minha condição fisica de saude, que aos olhos de muitas pessoas são impossiveis de ser aceite principalmente na minha idade e desde a idade qyue os vivo na altura os meus 23 anos hoje os meus 34 anos de idade estas idades complicadas de aceitar o que é menos bom com as doenças que me envolvem.

Não creio que o Homem seja tão fraco como o dizem e creio que onde existe o amor, existe força nem que seja o amor por nos proprios que eu proprio sem dár conta tanta dificuldade tive em o ter.

Se Vivi como sem abrigo? sim vivi, e perder tudo é algo muito complicado mas também vos digo que construir é ainda muito mais complicado do que perder, porque demora imenso tempo a recuperar mas também vos digo que há situações de vitória que nos fazem ter uma força brutal e  imensa força e que nos prepara para situações que podem vir a ser muito mais complicadas que outras que pensamos que seriam as derradeiras,dão-nos força e experiênca para superarmos e sermos mais do que vencedoresno palco da nossa vida tão curta e passageira ,tornando-nos assim pessoas experientes e sabias com vigor e fervor para continuar a viver.

Perder O amor é algo muito forte o amor por nós e claro consequentemente pelos outros e por tudo o que nos rodeia pode perigoso, principalmente para nós proprios pois o contrario do amor ou mesmo a sua ausencia é como um cancro que nos consome e nos faz somente perder. perder e não mais vencer nada nem ter nada nesta ou noutra qualquer possivel vida.



Comentários

  1. Eu estive la nao tenho aids mas conheço esssa realidade vivi la 4meses

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Olá às vezes posso passar alguns dias sem vir ver o teu comentário mas venho frequeentemente, por isso assim que puder dou um feed back, tem coragem e bom animo...tu é capaz

Mensagens populares deste blogue

METADONA EFEITOS COLATERAIS

Metadona e o excesso de peso

Coisas da metadona